Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.bahiana.edu.br:8443/jspui/handle/bahiana/3884
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSilva, Maria de Lourdes Lima Souza e-
dc.contributor.refereesEickemberg, Michaela-
dc.contributor.refereesPalmeira, Catia Suely-
dc.contributor.refereesWagmacker, Djeyne Silveira-
dc.contributor.authorMonteiro, Manuela Pereira Lima-
dc.date.accessioned2019-11-27T17:49:24Z-
dc.date.available2019-11-27T17:49:24Z-
dc.date.issued2018-08-24-
dc.identifier.urihttps://repositorio.bahiana.edu.br:8443/jspui/handle/bahiana/3884-
dc.description.abstractA obesidade é uma doença crônica que acomete 17% da população brasileira. A mesma é definida como o acúmulo excessivo de tecido adiposo, causado principalmente pelo descontrole alimentar. Objetivo: Testar a hipótese de que quanto maior a ingestão de ácidos graxos, maior a sua concentração sérica. Material e Métodos: Desenho do estudo: transversal, descritivo e analítico com 60 mulheres com excesso de peso, que foram avaliadas quanto aos níveis séricos de glicemia de jejum (GJ), colesterol total (CT), triglicérides (TG), LDL-c, HDL-c, ácidos graxos (AG) eleaídico, oleico, pelargônico e azeláico, Índice de Massa Corporal (IMC) e Índices Nutricionais, quanto ao consumos dos macronutrientes e ácidos graxos. Resultados: A amostra apresentou idade média de 46±12 anos, IMC 37,9±5,4 Kg/m2, GJ 98±13,2 mg/dL, dosagem sérica dos ácidos graxos elaídico 35,52 mg/dL [0,00 – 72,27], oleico 131,76 mg/dL [11,55 – 206,91], pelargônico 6,27 mg/dL [3,90 – 10,73] e azeláico 41,78 mg/dL [31,78 – 108,27]. O perfil do consumo alimentar dos ácidos graxos foi AG elaídico 0,03 mg [0,00 – 0,36] e oleico 1,85 mg [0,44 – 4,61]. Quanto ao consumo de gorduras, observou-se que a maioria das pacientes apresentou uma ingestão adequada de gordura saturada e gordura trans, enquanto 35% apresentavam um consumo inadequado de colesterol. A correlação entre os ácidos graxos consumidos e séricos foi de r= -0,128; p= 0,329 para o elaídico e r= -0,229; p= 0,078 para o oleico. Foram encontradas pacientes com as seguintes alterações metabólicas: HDL-c baixo (78,3%), glicemia alterada (36,7%), colesterol total alto (36,7%), LDL-c alto (31,7%) e triglicérides alto (26,7%). Conclusão final: A população deste estudo apresentou, em sua maioria, consumos ideais de carboidrato e lipídio e baixo consumo de proteínas, porém é possível observar que 1/3 das participantes do estudo consome quantidades altas de lipídio e proteína, bem como baixo consumo de carboidrato. Não foram encontradas correlações entre o consumo e a dosagem sérica dos AG dosados.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.publisherEscola Bahiana de Medicina e Saúde Públicapt_BR
dc.publisher.programMedicina e Saúde Humanapt_BR
dc.publisher.departamentEscola Bahiana de Medicina e Saúde Públicapt_BR
dc.publisher.initialsEBMSPpt_BR
dc.publisher.countrybrasilpt_BR
dc.rightsacesso abertopt_BR
dc.subjectObesidade. Ácidos Graxos. Lipídios.pt_BR
dc.titlePerfil de consumo e da concentração sérica de ácidos graxos em mulheres com excesso de pesopt_BR
dc.typedissertaçãopt_BR
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Final Manuela Monteiro.pdf1,76 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.